6 dicas para driblar o desemprego e iniciar seu próprio negócio
Escolha como quer aprender:

Mas se você faz parte da parcela da população que não está trabalhando formalmente, existem algumas alternativas para continuar faturando, mesmo diante da crise. E uma delas é iniciar seu próprio negócio.

Empreendendo, você pode ganhar mais flexibilidade em sua rotina, ter mais qualidade de vida e a possibilidade de trabalhar com algo que goste e do jeito que preferir.

Se você está pensando em seguir esse caminho, as dicas que destacamos a seguir certamente vão te ajudar!

Ah, e se orçamento está apertado, fique tranquilo. Também teremos algumas dicas específicas para quem tem poucos recursos para começar.

Encontre um segmento para empreender

O primeiro passo para iniciar no empreendedorismo é descobrir qual será o segmento da sua empresa.

A dica é listar os setores que mais atraem você, as atividades que mais gostaria de realizar e os tipos de negócio que já têm demanda de mercado. Ou seja, a ideia é encontrar algo que você goste ou tenha interesse em fazer e que também possa se tornar um negócio lucrativo.

Por exemplo, neste momento de pandemia, setores como alimentação via delivery, limpeza e educação a distância estão bem aquecidos.

Pensando nisso, investir em serviços como delivery de refeições congeladas, aulas de reforço pela internet e limpeza são algumas opções que podem ser bastante rentáveis.

Faça um plano de negócios

Sabendo em que setor vai empreender, a próxima etapa é começar a estruturar sua nova empresa. E a uma das melhores ferramentas para fazer isso é o plano de negócios.

O plano de negócios é um documento que ajuda o empreendedor a definir questões importantes do empreendimento, como:

  • Quais serão suas atividades principais;
  • Quem serão os parceiros e fornecedores;
  • Qual é a proposta de valor que trará para o mercado;
  • Quais são os recursos principais para manter a empresa;
  • Quem é o público alvo das vendas;
  • Como se dará o relacionamento com os clientes;
  • Quais serão os custos da operação;
  • De onde virá a receita da empresa.

Analisando essas questões na fase de planejamento, você terá a chance de aperfeiçoar os pontos que ainda precisam ser desenvolvidos, reduzir os riscos de fracasso e de estar melhor preparado para tirar o negócio do papel.

Avalie o investimento necessário

Uma das respostas que você deve encontrar fazendo o seu plano de negócios é qual será o investimento necessário para iniciar seu novo empreendimento.

Quem está desempregado e conta com um orçamento limitado para investir, deve tentar ao máximo enxugar os custos e manter uma operação tão econômica quanto for possível.

Para isso, algumas dicas são reduzir as despesas do seu negócio (deixando de pagar o aluguel de um ponto comercial para trabalhar em casa, por exemplo) e pesquisar os fornecedores que ofereçam os melhores preços e condições de pagamento.

Busque especialização

Principalmente no início do seu novo negócio, é muito provável que você tenha que fazer um pouco de tudo. E, para isso, será necessário ter conhecimentos básicos em gestão, finanças, contratos, marketing e negociação, para citar alguns exemplos.

Pensando nisso, é uma boa ideia buscar conhecimento nessas áreas e em qualquer outro tema que seja relevante para a administração e operação da sua empresa.

E o melhor é que é possível encontrar muito conteúdo valioso gratuitamente! Sites como o do Sebrae e da Endeavor, por exemplo, são ótimas fontes de conhecimento.

Formalize sua empresa

Com a fase de planejamento concluída, podemos passar para um momento mais burocrático: a formalização do seu negócio.

Este será o momento de escolher o regime tributário que mais se encaixa com o seu tipo de atividade e abrir o seu CNPJ.

Geralmente, donos de pequenos negócios escolhem opções como o MEI (microempreendedor individual), EI (empreendedor individual) e o EIRELI (empresa individual de responsabilidade limitada), que têm tributos reduzidos.

Cada tipo de empresa possui suas próprias características e pode ser mais ou menos indicada dependendo do seu segmento de atuação e projeção de faturamento. Conversar com um contador pode ajudar a tomar a melhor decisão neste momento.

Divulgue, divulgue, divulgue

Por fim, chegamos na melhor parte: começar a divulgar e a vender!

Lembre-se que um bom marketing é sempre pensado para mostrar que os produtos ou serviços são boas soluções para os desejos ou necessidades do público que você deseja atrair. Por isso, toda a comunicação deve ser direcionada para o público alvo que foi definido no plano de negócios.

Enquanto durar a pandemia, as melhores ferramentas de publicidade são as digitais: Facebook, Instagram, WhatsApp e e-mail, por exemplo, são bons instrumentos.

Dependendo do seu nicho de negócio, você também pode encontrar plataformas virtuais, marketplaces (uma espécie de vitrine virtual em que diferentes pessoas podem vender) e aplicativos para divulgar o seu trabalho e fazer as primeiras vendas!

Comece onde está e com o que tem

Alguma das nossas dicas parece difícil de encaixar no seu orçamento ou situação atual? Isso não é motivo para desistir.

A verdade é que dificilmente se tem condições totalmente perfeitas para iniciar no empreendedorismo. E não existe nenhum problema com isso!

Se você quer mesmo se tornar seu próprio patrão, o mais importante é começar com os recursos que tem no momento e ir ajustando a operação conforme sua empresa evolui.

Algumas dicas extras para começar com pouco dinheiro são:

  • Opte por tipos de negócios que permitam que você trabalhe em casa, sem necessidade de contratar funcionários, ou fazer altos investimentos;
  • Evite investir em estoques. Se possível, produza sob encomenda ou revenda mercadorias em consignação;
  • Faça cursos e consuma conteúdo sobre empreendedorismo e gestão de negócios que são gratuitos;
  • Utilize plataformas de divulgação e vendas online gratuitas, ou que cobram comissões baixas somente quando você vende;
  • Inicie apenas com os recursos essenciais, deixe para investir quando o negócio começar a dar lucro;
  • Pesquise e negocie muito antes de escolher seus fornecedores.

Agora você já sabe o básico para dar driblar o desemprego e se tornar seu próprio chefe! O próximo passo é tirar sua ideia do papel e se preparar para empreender!

Não perca tempo! Peça já seu cartão!
Mais artigos para você
Subtítulo